A força da pirataria "Made In China"

,
O sucesso das marcas famosas é um dos principais combustíveis da pirataria. A popularidade dos produtos "made in china" se vale do desejo que as marcas de luxo despertam nos consumidores. Professor do Departamento de Antropologia da Universidade de Brasília, Gustavo Lins Ribeiro, apresentou pesquisa em que detalha como a pirataria se beneficia do alto custo da economia formal. A partir de análise antropológica, Ribeiro demonstrou dados históricos sobre o mercado das feiras e dos camelôs. Segundo ele, o comércio popular ilegal não só se apropria do valor simbólico embutido em nomes de grandes marcas, como muitas vezes utiliza de seus espaços industriais para produzir mercadorias. Para se ter idéia, algumas fábricas na China - considerada o coração do sistema mundial da pirataria - produzem durante o dia produtos para grandes grifes internacionais e à noite para o mercado informal. “Só que sem a etiqueta da marca. E vende dez vezes mais barato”, disse Ribeiro. O mercado oficial serve de teste para o comércio ilícito, afirmou o professor. Esse inclusive é outro ponto de encontro entre as duas formas de comercialização. “Eles vão à loja, compram o modelo original que mais vende para então copiar”, disse.
Fonte: UnB Agência

1 comentários:

Antonio Carlos disse...

Gostaria de ter a referência bibliográfica desse antropólogo (seu trabalho), e sobre o assunto. Escrevi um artigo sobre os produtos chineses:
http://www.zadoque.com/cadernos/produtos-chineses-01.html

...uma referência sobre pesquisas sérias é interessante. Vou linkar o seu blog no meu artigo. Seria interessante que tivesse mais referências... (Zadoque)

Postar um comentário